A sina dos Arara

Um quarto das terras dos índios Arara, 160 mil hectares localizados na Transamazônica, no município de Altamira, no Pará, continuavam ocupados por posseiros no início de 1990. A invasão do território desses índios começou em 1973, logo depois da construção da Transamazônica, e foi se agravando.

Os Arara acabaram divididos em duas aldeias: uma na área do Laranjal, onde moravam 30 índios, e outra à altura do posto de vigilância da Funai, no km 120 sul, onde viviam aproximadamente 80 índios.

Além de perderem 25% de suas terras para os lavradores, os Arara podiam ficar sem outros 25%, quando a hidrelétrica de Kararaô [depois conhecida por Belo Monte] fosse construída. Para complicar, as terras dos índios são pobres e a mata estava sendo destruída pelos madeireiros.

(O Liberal, Belém/PA, 31/01/1990)