A caça ao camarão

 

Para cada quilo de camarão rosa capturado no litoral norte do Brasil, cerca de 7,2 quilos de fauna acompanhante – peixes, moluscos e mariscos – são devolvidos inertes ao mar. Em 1984 foram desperdiçadas quase 37 toneladas de fauna acompanhante, sem qualquer aproveitamento comercial.

Esse número baixou no ano seguinte para 32 toneladas. Do total, mais de 20 toneladas poderiam ser aproveitadas com a seleção de espécimes de boa qualidade para o suprimento do mercado interno, segundo pesquisa do Idesp (Instituto de Desenvolvimento Econômico-Social do Pará).

Raro mundialmente e só encontrado em águas do norte do Brasil, o camarão rosa é capturado e exportado para o exterior praticamente sem que uma preocupação orientasse contra a agressão marinha ocasionada. Constituindo-se num dos maiores bancos camaroneiros do mundo, a região de ocorrência do camarão rosa vai da foz do rio Parnaíba, no Piauí, até o Cabo Orange, no Amapá, cobrindo cerca de 223 mil quilômetros quadrados.

(O Liberal, Belém/PA, 11/10/1989)