Proteção à natureza em Paragominas

Em fevereiro de 1990 a Curadoria de Proteção ao Meio Ambiente de Paragominas conseguiu, através de liminar concedida pela juíza Maria Aparecida, suspender a produção de carvão vegetal em forno rústico e a incineração de pó de serra (um resíduo de madeira) a céu aberto por parte de 80 indústrias madeireiras instaladas no perímetro urbano da sede do município, no Pará.

O pedido se baseou em uma ação civil pública apresentada pela curadoria, respaldada em provas testemunhais e periciais atestando que as densas nuvens de fumaça lançadas ao ar continham substâncias químicas nocivas à saúde da população. Entre os problemas causados foram registradas alergia e irritações nos olhos e na garganta.

(O Liberal, Belém/PA, 13/02/1990)