Conflito em seringal

Um juiz federal chegou a ameaçar recrutar tropa do Exército, em julho de 1976, para expulsar 300 posseiros que haviam ocupado o seringal Catuaba, no Acre. Os lavradores invadiram a gleba para tentar assegurar sua posse, mas a propriedade havia sido sequestrada pela justiça em 1974, para definir um litígio fundiário, a pedido da Procuradoria da República.

Na área, um posseiro, Raul, tinha matado a tiros de espingarda o gerente de um dos donos e aleijado um fiscal. Os posseiros acusaram a polícia de usar a violência para forçá-los a sair. Eles entraram no seringal Catuaba depois de terem abandonado outro seringal, o Panorama, que o Estado já havia comprado e loteado.

(O Estado de S. Paulo, São Paulo/SP, 28/07/1976)