Fazendeiro e o Peace Corps

O fazendeiro Satoshi Kuryonagi foi destituído, em 1976, do cargo de representante da entidade religiosa Peace Corps (Corpos da Paz) por causa da perseguição que movia contra os posseiros da Gleba União, em Mato Grosso.

Documentos contra o fazendeiro foram encaminhados ao embaixador dos Estados Unidos no Brasil, John Crimmins, pela Prelazia de Diamantino, levando ao desligamento de Satoshi.

Ele também foi acusado de tentar subornar o juiz da comarca, Crestino Sisti, enviando-lhe uma garrafa de uísque na qual o líquido foi substituído por cédulas de dinheiro. Anteriormente, o fazendeiro teria dado mil alqueires de terra ao major Zuzi Alves da Silva, delegado-geral da polícia civil de Mato Grosso.

(O Estado de S. Paulo, São Paulo/SP, 24/11/1976)