Fazendeiro manda matar

A polícia de Mato Grosso prendeu, em julho de 1976, 37 posseiros acusados de assassinar um jagunço contratado pelo fazendeiro Satoshi Kurionagy, que se dizia proprietário da Gleba União. Nela viviam aproximadamente 200 famílias de lavradores, no município de Diamantino.

O bispo local, d. Henrique Froehlich, protestou junto ao presidente Ernesto Geisel. Argumentou que os posseiros estavam sendo expulsos mesmo tendo ganhado uma ação possessória na justiça.

(O Estado de S. Paulo, São Paulo/SP, 30/07/1976)