Dinheiro estrangeiro para AM

Organismos governamentais europeus, norte-americanos e japoneses, e empresas multinacionais, estariam dispostos a fazer elevados investimentos – “a maioria a fundo perdido” – em projetos de desenvolvimento na Amazônia. O anúncio foi feito pelo diretor do Centro de Educação Superior para América Latina e Caribe, o venezuelano Gustavo Lopez Ospina, também membro da Unesco, durante a 42ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada em julho de 1990, em Porto Alegre.

Ospina chegou a citar a cifra de nove bilhões de dólares só para o Brasil, mas admitiu que esses recursos “naturalmente vêm cercados de interesses econômicos e políticos, que devem ser encarados de maneira madura, contundente e criativa pelos países sul-americanos envolvidos na questão amazônica”.

(Jornal do Brasil, Rio de Janeiro/RJ, 12/07/1990)