Para defender o peixe-boi

O Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) e a Sudepe (Superintendência do Desenvolvimento da Pesca, já extinta) iniciaram em 1974, através de convênio, um programa para pesquisar e proteger o peixe-boi, vítima de matança indiscriminada nos lagos e várzeas da Amazônia Ocidental, e uma das espécies ameaçadas de extinção.

O maior potencial de pesca indiscriminada estava no município de Tefé, no Estado do Amazonas. O peixe-boi é um animal herbívoro, que consome nutrientes e os devolve como excremento ao meio em que vive. Com isso, revitaliza a produção de algas, zooplancton, pequenos organismos e peixes, num processo contínuo de alimentação e realimentação.

Sua extinção provocaria uma retração no consumo dos capins flutuantes, dos microorganismos e da vegetação, possibilitando a formação de gás tóxico para os peixes, principalmente pela redução do oxigênio na água. Como fertilizador do ambiente, o peixe-boi permite a conservação de outras espécies.

O Liberal, Belém/PA, 26/07/1974)