A madeira do lago de Tucuruí

O represamento do rio Tocantins, no Pará, para a produção de energia na hidrelétrica de Tucuruí, formou, em 1984, um lago artificial com 2.850 quilômetros quadrados, afogando grande quantidade de árvores. Só um ano depois começou a extração da madeira submersa no reservatório.

Juarez Cristiano de Jesus Gomes, um paraense nascido em Marabá, 200 quilômetros ao sul da barragem, na época com 64 anos, transportava em seu pequeno barco trabalhadores contratados pela Eletronorte. Ele inventou uma motosserra hidráulica (a hidromotosserra), capaz de funcionar dentro da água.

A partir daí, 20 empresas atuaram na área do lago. Mas a atividade só adquiriu maior expressão quando, em julho de 1997, foi assinado um acordo entre a madeireira Supan, a canadense Aquatic Celulose e a americana Liberty Woods.

(Gazeta Mercantil Pará, Belém/PA, 25/07/1997)