Turismo em reserva extrativista

Em setembro de 2001, três entidades de seringueiros – Associação dos Seringueiros do Vale do Guaporé (Aguapé), Organização dos Seringueiros de Rondônia (OSR) e Ação Ecológica Vale do Guaporé (Ecoporé)–  inauguraram uma pousada na reserva extrativista Pontas Negras, em São Francisco do Guaporé, e um centro de visitantes, na reserva Curralinho, em Costa Marques, no Estado de Rondônia, a mil quilômetros da capital, Porto Velho, já na fronteira com a Bolívia.

Era a iniciativa mais importante desde que o ecoturismo comunitário foi iniciado na região, em 1995, com apoio do WWF (Fundo Mundial para a Natureza) e o governo de Rondônia, através do Planafloro (Plano Agropecuário e Florestal), que conta com financiamento de 243 milhões de reais do Bird (Banco Mundial).

O emprendimento, que também integrava o Proecotur (Programa de Desenvolvimento do Ecoturismo na Amazônia Ocidental), envolvia 200 famílias de seringueiros.

(Gazeta Mercantil Pará, Belém/PA, 04/09/2001)