A Rio Impex

Em outubro de 1960 o deputado estadual Cléo Bernardo, do PSB (Partido Socialista Brasileiro), denunciou da tribuna da Assembleia Legislativa do Pará que a firma Rio Impex havia embarcado para a Alemanha, pelo navio Askilt, 1.140 toras de mogno extraídas da região do Tocantins.

O embarque, efetuado pelo porto de Itaituba, não indicou a cubagem da madeira, embora um fiscal da Alfândega tivesse testemunhado a operação. A empresa embarcou ainda, na mesma ocasião, 40 metros cúbicos de tábuas de mogno.

Também desembarcou 10 motores de popa sem nota fiscal, o que caracterizaria contrabando. O parlamentar disse ter recebido informação de que a empresa estava comprando, por um milhão de cruzeiros (valor da época), área próxima a Abaetetuba.

(Folha do Norte, Belém/PA, 26/10/1960)