Atritos pelo aumento da reserva

Em 2000 a Funai (Fundação Nacional do Índio) reafirmou a disposição de ampliar a área da terra indígena Kayabi, no sul do Pará, de 166.500 para 1.408.000 hectares, incorporando área do lado de Mato Grosso. A iniciativa provocou a reação de representantes do município de Apiacás e da Comissão Pró-Hidrovia Teles Pires-Juruena-Tapajós.

Segundo eles, o aumento da área indígena atingiria projetos em desenvolvimento ou semi-implantados na região, recursos naturais e poderia inviabilizar de vez a implantação da hidrovia, suspensa exatamente por atravessar terras de índios.

Argumentavam que na área protegida pela Funai havia apenas 71 Kayabi, já que outros 226 Munduruku haviam recebido sua própria reserva. Diziam ainda que os estudos de delimitação, de autoria do antropólogo Edison Netto Lasmar, se basearam em estudo de 1982, que estaria ultrapassado e equivocado em relação às características da área.

(O Liberal, Belém/PA, 29/11/2000