Porto de Vila do Conde

O porto de Vila do Conde, a 50 quilômetros de Belém, capital do Pará, é o maior da Amazônia e um dos 10 maiores do Brasil. Foi inaugurado em outubro de 1985, como suporte para o polo de alumina e alumínio, implantado por um consórcio nipo-brasileiro de empresas liderado pela Companhia Vale do Rio Doce, sendo administrado pela Companhia Docas do Pará (CDP), do governo federal, que custeou a obra.

Em 1999, o terminal alcançou a movimentação de 5,9 milhões de toneladas, chegando a 6,5 milhões em 2000. Em 2003 praticamente dobraria sua capacidade, para 12 milhões de toneladas anuais. Deixou de ser terminal privativo de granéis sólidos, passando a operar com carga geral.

Um investimento de 108 milhões de reais (75 milhões da iniciativa privada e 33 milhões do governo do Estado) permitiria ampliar o segundo pier, já existente, construir mais dois, um pátio para o armazenamento de contêineres e uma rampa para carretas.

Com essa obra, o porto poderia absorver grande parte da carga ainda movimentada pelo velho porto de Belém, que apresenta várias limitações, segundo a CDP, como o pequeno calado do canal de acesso, área portuária restrita e localização no centro da cidade.

No final de 2000, uma unidade piloto da empresa Fertilizantes Ouro Verde, com capacidade para produzir 90 mil toneladas anuais, foi instalada na área do porto, servindo-se de sua infraestrutura.

(O Liberal, Belém/PA, 25/11/2000)