Uso da biodiversidade

Em 30 de maio de 2000 a Associação Brasileira para o Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia (Bioamazônia) assinou com a empresa Novartis Pharma AG, com sede na Suíça, um acordo que dava a essa multinacional a exclusividade sobre o uso do material genético coletado na região amazônica.

Pelo acordo, previsto para durar três anos, movimentando quatro milhões de dólares, a Novartis investiria em pesquisas científicas e no desenvolvimento de tecnologias e produtos “com base no uso sustentável da biodiversidade da Amazônia”.

A Bioamazônoia foi qualificada pelo governo federal para participar da implementação do Programa Brasileiro de Ecologia Molecular para o Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia (Probem), destinado a desenvolver a bioindústria do país.

(O Liberal, Belém/PA, 26/06/2000)