A origem do mercúrio

O Museu Paraense Emílio Goeldi e o Instituto Evandro Chagas, ambos sediados em Belém, no Pará, iniciaram em 1999 uma pesquisa sobre o “Fluxo e Comportamento Biogeoquímico do Mercúrio nos Ecossistemas de Terra Firme e Várzea na Amazônia”.

O projeto foi criado devido a ocorrências de mercúrio nos Estados do Pará, Amapá e Acre, em áreas até então intactas e onde não havia nenhum indício de atividade garimpeira.

A pesquisa, tomando como parâmetro o caso de contaminação da baía de Minamata, no Japão, e os conhecimentos adquiridos em intercâmbio com a Jica, a agência japonesa de cooperação internacional, partiu de duas hipóteses explicativas: o metal pode ter surgido das mudanças causadas na região por queimadas e desmatamentos, ou de poluição de origem atmosférica, sendo trazido dos garimpos mais próximos pela ação dos ventos e precipitação de chuvas.

(O Liberal, Belém/PA, 11/11/1999)