Problema da borracha

O governo federal começou a pagar subvenção aos produtores de borracha natural do Brasil em 1997. O subsídio era de 90 centavos por quilo. No ano seguinte a produção, que era prevista em 66 mil toneladas, foi declarada como tendo alcançado 85 mil toneladas, representando investimento de 67,7 milhões de reais no incentivo.

Esse grande e brusco crescimento, porém, teria sido consequência do uso de notas falsas na compra de borracha por nove usinas de pequeno a grande porte atuando no Acre, Amazonas, Mato grosso, São Paulo e Minas Gerais, segundo denúncias feitas ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), causando prejuízo de R$ 20 milhões aos cofres públicos.

(O Liberal Belém/PA, 10/08/1999)