Questão da terra no Araguaia/Tocantins

Entre 1982 e 1987 a CPT (Comissão Pastoral da Terra) do Araguaia/Tocantins registrou 223 mortes causadas por questões fundiárias entre o norte de Mato Grosso, norte de Goiás (atual Tocantins) e sudeste do Pará. Nesses mesmos seis anos, outras 1.505 pessoas receberam ameaças de morte. Pelo levantamento, divulgado em 1988, entre 1985 e 1987 foram registradas 3.160 ações possessórias contra famílias de trabalhadores rurais.

(Jornal do Brasil, Rio de Janeiro/RJ, 23/06/1988)