Ocupação em Carajás

Em junho de 1990, cerca de 500 famílias de posseiros voltaram a invadir uma área em torno do projeto de minério de ferro da Companhia Vale do Rio Doce na serra dos Carajás, no Pará, conhecida como Cinturão Verde, depois de  um confronto com os seguranças da empresa. Muitos dos  colonos estavam armados de espingarda calibre 20.

Antes de qualquer decisão da justiça a respeito da invasão, os colonos começaram a fazer plantios de feijão, arroz e milho, enquanto construíam barracos na área, que batizaram de Vila União Marcos Freire, em homenagem ao ex-ministro da reforma agrária, morto em Carajás, num acidente de avião, em setembro de 1998.

Na frente da vila os colonos colocaram uma faixa com o nome de Marcos Freire e a inscrição: “Ele veio para nos salvar e foi morto pelos poderosos”, numa alusão à versão de que o acidente com o jatinho do ministro teria sido provocado por adversários da reforma agrária no Pará.

(Jornal do Brasil, Rio de Janeiro/RJ, 06/06/1990)