Hanseníase no Amazonas

Até julho de 1985, a Secretaria de Saúde do Amazonas registrou 23 mil doentes de hanseníase, 70% dos quais estavam sob controle. Esse elevado índice era atribuído ao modelo econômico aplicado na região desde a época áurea da borracha, com a imigração de numerosos contingentes de nordestinos, que já chegaram em péssimas condições de saúde e foram viver em situação ainda pior na região. Assim, o bacilo de Hansen encontrou condições favoráveis para proliferar.

(O Liberal, Belém/PA, 04/07/1985)