Presidente na Transamazônica

Em 28 de setembro de 1971, o presidente Garrastazu Médici iniciou, em Itaituba, no Pará, sua primeira visita de inspeção às obras da rodovia Transamazônica, à frente de uma comitiva de ministros. O presidente percorreu 11 quilômetros de estrada, de revestimento primário, e fez a travessia do rio Tapajós, entre Itaituba e Miritituba. Depois, ouviu uma palestra sobre o andamento da construção da estrada.

O diretor-geral do DNER, Eliseu Resende, informou que no percurso integral da Transamazônica, de 5.449 quilômetros, desde João Pessoa até a fronteira com o Peru, nove balsas seriam usadas para a travessia dos rios, além de construídas muitas pontes de madeira. Até 31 de dezembro de 1971 estava previsto a terraplenagem de 1.500 quilômetros de estrada.

O DNER estava gastando 150 mil cruzeiros (da época) por quilômetro construído. Contava com o trabalho de quase quatro mil homens, sendo 3.600 peões e 400 administradores e engenheiros. O investimento total previsto então era de 390 milhões de cruzeiros.

(O Estado de S. Paulo, São Paulo/SP, 29/09/1971)