Energia para o alumínio

Em 1974, o governo federal previa investimento no valor de um bilhão de dólares no complexo industrial de alumina e alumínio de Barcarena, às proximidades de Belém, e na hidrelétrica de Tucuruí, no Pará. A usina, instalada no leito do rio Tocantins, iria gerar dois milhões de quilowatts, sendo um milhão de kw para as duas fábricas e 300 mil kw para Belém, cujo consumo, nessa época, era de 100 mil kw. A fábrica de alumina produziria um milhão de toneladas, utilizando dois milhões de toneladas de minério de bauxita, extraído da jazida localizada no rio Trombetas, ainda no Pará. A produção da fábrica de alumínio seria de 500 mil toneladas.

Fonte: O Liberal (Belém/PA), 23/01/1974