O custo de Tucuruí

Em 1890, foi iniciada a construção da Estrada de Ferro do Tocantins, no Pará, destinada a fazer o transporte ao longo de 117 quilômetros, trecho no qual o rio se torna não navegável no verão por causa do afloramento de pedras. A obra só foi concluída em 1944, mas em novembro de 1973 a ferrovia foi extinta pelo governo federal, por ser considerada antieconômica.

Nessa mesma área foi construída a hidrelétrica de Tucuruí, com uma barragem de 80 metros de altura, da fundação à sua crista, com 68 metros de queda. A preços de junho de 1973, a obra deveria custar 1,17 bilhão de dólares, sendo US$ 785 milhões na usina, US$ 95 milhões nas subestações e linhas de transmissão até Vila do Conde, onde seria implantado um polo industrial de alumínio e alumina, e US$ 290 milhões de juros durante a construção. Este seria o custo da primeira etapa da hidrelétrica, com capacidade para 3 milhões de quilowatts. Numa segunda etapa ela deveria ser ampliada para 6,5 milhões de kw.

Fonte: O Globo (Rio de Janeiro/RJ), 15/09/1974