Urânio em Mato Grosso

Uma equipe do Projeto Radam (Radar da Amazônia) localizou uma ocorrência de minério de titânio no município de Aripuanã, no norte de Mato Grosso, às proximidades da cidade científica Humboldt, implantada pela Universidade Federal de Mato Grosso. Mesmo sem uma avaliação do volume de minério existente na ocorrência, a descoberta foi considerada importante pelo teor registrado, variando entre 46% e 50%, “um dos mais elevados do mundo”, segundo os técnicos do Radam. Eles também detectaram no local a presença de “terras raras”, composição geológica favorável à presença de minérios. O Brasil importava então grande quantidade de urânio, utilizado principalmente na pigmentação de tintas e na indústria metalúrgica.

Fonte: Jornal do Brasil (Rio de Janeiro/RJ), 02/08/1974