Praga no lago de Tucuruí

As glebas Parakanã, Pucuruí e Tucuruí, localizadas às margens do reservatório da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, foram consideradas em estado de emergência, em 1991, por causa da proliferação de moscas hematófagas, que chegaram a dar 5 mil picadas por hora em moradores da região. A praga surgiu em consequência do apodrecimento das árvores que ficaram submersas no lago, gerando gases e eliminando o oxigênio da água.

Em setembro de 1992, o Incra criou o projeto de assentamento Rio Gelado, destinado a absorver os moradores do lago. Posteriormente, o Ibama concedeu à empresa madeireira Abrolho Verde autorização para extrair madeira na área, com base num projeto de manejo considerado inconsistente pelos representantes dos lavradores. Quando trabalhadores contratados pela empresa começaram a entrar na mata, entraram em conflito, em 1974, com as 1.250 famílias beneficiadas pelo assentamento Rio Gelado.

Fonte: O Liberal (Belém/PA), 17/03/1995