Recuperação de área degradada

Em 1992, a empresa japonesa Eidai do Brasil iniciou o projeto Experiência de Recuperação de Área Degradada, implantado em três áreas. Uma, ao lado da sua fábrica, no distrito industrial de Icoaraci, na Grande Belém. As outras duas em Breves e Igarapé-Açu, todas no Pará.

O projeto pioneiro foi ao lado da fábrica: uma área de cinco hectares, totalmente degradada pela retirada de aterro, foi recomposta com o rejeito da produção de compensado, que chegava a 70 mil metros cúbicos anuais, comercializados no exterior.

Recomposto o solo com toneladas de serragem, cascas de árvores e outros materiais, foram plantadas 120 mil mudas de diversas espécies florestais amazônicas, como cedro, sumaúma e virola. O investimento inicial do experimento foi de 120 mil dólares.

Fonte: Diário do Pará (Belém/PA), 05/03/1995