O MST chega ao Pará

Em junho de 1991, a Polícia Federal e a Polícia Militar do Pará, em operação conjunta, prenderam cinco homens e duas mulheres acusados de organizar e patrocinar a invasão de terras no sul do Estado. Os sete integravam a Associação Nacional de Cooperação Agrícola (Anca), entidade ligada ao Movimento dos Sem Terra, com sede em São Paulo e representação em todos os Estados brasileiros.

No Pará. a organização se instalou em 1990 e em Marabá, onde os sete foram presos, três meses antes da operação policial. Ao invadir a sede da entidade em Marabá, a polícia não encontrou nenhuma arma, nem houve resistência, mas os sete presos foram acusados de “formação de bando, por armazenar farto material de propaganda ideológica, folhetos de instrução para invasão de terra, relatórios e panfletos”.

Eles estariam planejando a invasão da fazenda Ponta de Pedras, que já havia sido desapropriada. O mesmo grupo teria liderado a invasão da sede do Incra em Conceição do Araguaia. O líder do grupo seria Dimas Pereira de Melo, que havia feito um curso em Havana. A Anca era responsável pela edição do jornal “Sem Terra”.

FONTE: O Liberal (Belém/PA), 19/06/1991