Empresas na cassiterita de Rondônia

A reserva de cassiterita de Bom Futuro, no município de Ariquemes, em Rondônia, a maior do mundo, foi descoberta ao acaso por madeireiros, em maio de 1987, começando a ser explorada em outubro. Por causa dela, a partir do ano seguinte o Brasil se tornou o maior produtor mundial.

Entre 1988 e 1989 chegaram a Bom Futuro mais de 20 mil pessoas, dentre as quais muitos garimpeiros procedentes de áreas de mineração de ouro do rio Madeira, onde a atividade já não era um bom negócio. Boa parte da produção de cassiterita, no entanto, era desviada por contrabando para a Bolívia, que tem 1.364 quilômetros de fronteira com Rondônia.

Até 1990, a economia brasileira perdeu mais de 600 milhões de dólares devido ao comércio ilegal de 15 mil toneladas do minério. Em agosto de 1990, a Empresa Brasileira de Estanho (Ebesa), um pool de sete mineradoras liderado pela Paranapanema (com 49,6% do controle acionário), assinou acordo com três cooperativas de garimpeiros da região, que se comprometeram a vender 80% da produção por um preço equivalente a 55% da cotação à vista do estanho na Bolsa de Metais de Londres.

Em novembro de 1991, o DNPM (Departamento Nacional da Produção Mineral) concedeu duas áreas de lavra de cassiterita para a Ebesa, abrangendo 20 mil hectares.

FONTE: Gazeta Mercantil (São Paulo/SP), 30/11/1991