Ferrovia de Carajás

Em outubro de 1973, o consórcio Lasa-Canac iniciou o estudo de viabilidade e o anteprojeto de engenharia da ferrovia de Carajás, destinada a escoar minério de ferro desde a mina, no sul do Pará, até São Luís, no litoral do Maranhão. Acompanhando o traçado da ferrovia, o consórcio montou mais de 20 bases de apoio.

Em um ano e nove meses, o trabalho custou 20 milhões de cruzeiros (valor da época) e causou a morte, por malária, de dois funcionários braçais e de um técnico de nível médio. Dois engenheiros também morreram num acidente de lanche durante a travessia do rio Tocantins. Os estudos foram concluídos em junho de 1975.

FONTE: A Província do Pará (Belém/PA), 29/06/1975