Militares na fronteira

Em 1964, o governo militar criou o Centro de Instrução de Guerra na Selva, com sede em Manaus, no Estado do Amazonas, integrando o Grupamento de Elementos de Fronteira do Comando Militar da Amazônia.

Seu objetivo era preparar militares e voluntários para operações na selva, testando e propondo material para uso no local e contribuindo para o desenvolvimento da doutrina de guerra na selva. Tomou como modelo Forte Sherman, criado e mantido pelos Estados Unidos com propósitos idênticos na área do Canal do Panamá.

Ao ser criado, além da sede, o CIGS dispunha de dois aquartelamentos na selva, a 59 quilômetros e a 65 quilômetros de Manaus, com uma área de instrução reservada de 900 quilômetros quadrados, entre os municípios de Manaus e Itacoatiara.

Fonte: Folha do Norte (Belém/PA), 25/08/1968