O 5º BEC em Rondônia

O 5º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército começou sua atividade em dezembro de 1965. Sua missão era construir a rodovia Porto Velho-Rio Branco até a fronteira com o Peru, num percurso de 1.187 quilômetros, e a conservação da estrada de Cuiabá ao rio Juruena. Depois, foi encarregado também de conservar todo o trecho da então BR-374, de Cuiabá a Porto Velho, prolongamento da Brasília-Acre, com 1.520 quilômetros de extensão.

Em janeiro de 1966, o 5º BEC se estabeleceu em Porto Velho, capital de Rondônia. O BEC foi incumbido ainda de construir a BR-319, trecho Porto Velho-Guajará-Mirim, destinada a substituir a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, numa extensão de 266 quilômetros.

Em maio de 1966, a famosa ferrovia entrou em processo de erradicação, sendo transferida da administração da Rede Ferroviária Federal para o Ministério do Exército. O primeiro conjunto de máquinas pesadas de implantação de rodovias, importadas dos Estados Unidos, chegou a Porto Velho em junho de 1966.

O objetivo dessa rede de ligação terrestre, que se completaria com a Manaus-Porto Velho, também em andamento, era promover a rápida integração dessas áreas à comunidade nacional “e o preenchimento dos vazios demográficos aí existentes”. Dessa maneira, acelerando “o fluxo comercial de uma extensa área de imensas possibilidades, mormente no que tange às extrativas mineral e vegetal, e a área mais industrializada do País”.

Fonte: Folha do Norte (Belém/PA), 23/08/1968