Terras para grandes proprietários

Em abril de 1972, o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) começou a selecionar áreas na Amazônia para serem licitadas, em grandes lotes, para empresas rurais. Os lotes máximos iriam variar entre 72 mil hectares (para reflorestamento) e 66 mil hectares (para agropecuária).

Em Mato Grosso a área selecionada abrangeu 100 mil hectares, entre os rios Peixoto de Azevedo e Teles Pires, às proximidades da rodovia Santarém-Cuiabá. Em Roraima, as áreas destinadas a grandes propriedades somaram dois milhões de hectares; no Amapá, 100 mil ha; no Pará, 1,7 milhão de hectares; em Rondônia, 200 mil hectares, mas destinados a regularizar a propriedade de até dois mil hectares. Até então, o Incra só fizera colonização com pequenos proprietários.

Fonte: O Estado de S. Paulo (São Paulo/SP), 24/04/1976