As baixadas de Belém

Em maio de 1976, o DNOS (Departamento Nacional de Obras de Saneamento) deu início ao programa emergencial, a primeira etapa do Plano de Recuperação das Baixadas de Belém, no Pará, que o presidente Ernesto Geisel aprovara, no início desse ano. Visava beneficiar 320 mil pessoas, residentes nas áreas alagáveis da capital paraense, abrangendo 40% da primeira légua patrimonial da cidade. A fase emergencial atingiria 18 hectares, menos de 1% dos 2 mil hectares de baixadas de Belém, ao longo do igarapé São Joaquim, remanejando do local 500 famílias para uma vila temporária às proximidades.

Fonte: Arquivo Pessoal, 07/05/1976