O estanho da Amazônia

O Brasil se tornou o maior produtor de estanho do mundo a partir do momento em que entraram em operação as minas do Pitinga, no Estado do Amazonas, e Bom Futuro, em Rondônia. Os depósitos de cassiterita de Bom Futuro foram descobertos por madeireiros em 1986. A corrida chegou a mobilizar 45 mil garimpeiros, atraídos pelo elevadíssimo teor de estanho, extraído na superfície da terra.

A cota brasileira estabelecida pela Associação dos Países Produtores de Estanho (ATPC) foi elevada em 11% em 1988, atingindo 29.500 toneladas, apenas ligeiramente inferior à da Malásia, principal exportador de estanho do mundo.

Mas a produção crescia ainda mais e o governo forçou as principais empresas do setor, como a Paranapanema (dona da mina do Pitinga) e a Rhône-Poulene (grupo químico de controle estatal francês, que possuía três minas de cassiterita no Brasil), a comprar minério do garimpo.

Fonte: Gazeta Mercantil (SP), 19-03-1992