“Pacificação” dos kayapó

Os índios kayapó foram “pacificados” pelo SPI (Serviço de Proteção ao Índio) entre 1949 e 1954. Seis frentes de atração foram formadas para entrar em contato com os índios, que mantinham conflitos permanentes com os seringueiros da região. Em 1973, atendendo a uma antiga aspiração da tribo, o governo deu início ao processo de reconhecimento dos limites territoriais da reserva, no sul do Pará.

A demarcação, porém, só começou em 1978. A área delimitada nessa época era de 2.738.850 hectares, abrangendo quatro aldeias, onde viviam entre 1.500 e 1.800 índios. Mas logo a empresa que ganhou a concorrência da Funai para fazer a demarcação faliu, suspendendo os trabalhos.

Em 1979, os limites Norte e Leste da reserva começaram a ser invadidos, irritando os kayapós. Em agosto de 1980, um grupo de guerreiros atacou a sede da Fazenda Espadilha, a 150 quilômetros da cidade de Redenção, matando 23 pessoas, entre as quais oito crianças, alegando que as terras da fazenda estavam dentro da reserva.

Fonte: Jornal da Tarde (SP), 03-09-1980