Sigilo no Calha Norte

O projeto Calha Norte foi concebido para, em princípio, ser executado por sete pelotões de fronteira do Exército, cada um com 40 ou 60 homens, totalizando 400 militares no máximo. No documento de sugestão da criação do projeto, os ministros do Exterior, Interior e Planejamento, mais o chefe da Casa Militar da Presidência da República, recomendaram ao presidente José Sarney a adoção do sigilo.

Alegaram que o projeto poderia “vir a suscitar tanto expectativas domésticas exageradas, quanto temores infundados, nos países limítrofes”. Além disso, “muitos dos temas abordados, tais como reformulação de políticas indigenistas, retomada da demarcação de fronteiras ou localização de instalações militares, requerem tratamento sigiloso, pelo menos nos estágios iniciais de análise, em virtude da alta sensibilidade política”.

Fonte: Jornal do Brasil I(Rio de Janeiro/RJ), 01-11-1986