A chegada dos chineses

Uma delegação chinesa esteve pela primeira vez na Amazônia entre os dias 20 e 21 de julho de 1988, durante a terceira visita feita ao Brasil. Eram dirigentes do Ministério de Geologia de Recursos Minerais, que passaram dois dias conhecendo a jazida de minério de ferro da Serra dos Carajás, no sul do Pará, considerada a mais rica do mundo. Mesmo com uma produção significativa desse minério, os chineses também o importavam do Brasil. A visita fazia parte de um acordo de cooperação técnica entre os dois países nos setores de mineração e agricultura.

Fonte: O Liberal (Belém/PA), 23/07/1988

Nepotismo no TCM

Em março de 1986, o advogado William Fontenelle Chaves ajuizou, no fórum de Belém, ação popular contra o governador do Pará, Jader Barbalho, o vice-governador Laércio Franco, e o presidente da Assembleia Legislativa, Hermínio Calvinho. Acusou-os de serem os responsáveis pelas nomeações irregulares, para o Conselho de Contas dos Municípios, sem concurso público.

Foram admitidas 16 pessoas, entre os quais oito parentes do governador e do vice, um parente do senador Hélio Gueiros e outro de um político também do PMDB, e outros dois contratados eram ligados intimamente a Barbalho e Franco.

O nepotismo beneficiava dois sobrinhos do governador, duas irmãs e uma sobrinha de sua esposa, Elcione Barbalho, e uma filha de um líder do PMDB (atual MDB), que era também presidente de uma empresa estatal de navegação. Na ação, o advogado ressaltava que a lei veda a nomeação de funcionários públicos admitidos sem concurso, pedindo a impugnação das admissões e a responsabilização dos réus.

Fonte: Arquivo Pessoal, 06/03/1986

Garimpeiros atacam mineradora

Em fevereiro de 1986, cerca de 1.500 garimpeiros invadiram a mina de ouro da Oca Mineração no garimpo de Itatá, em Altamira, no Pará. Dias depois da invasão, que interrompeu as atividades da empresa, os garimpeiros montaram uma emboscada, da qual agentes da Polícia Federal e funcionários da empresa saíram feridos.

O governo do Estado interveio para tentar negociar uma saída, mas os garimpeiros, para pressionar pela saída da empresa da área, ocuparam durante quatro horas a cidade de Altamira, depredaram e saquearam prédios públicos, desligando a energia e bloqueando o tráfego na rodovia Transamazônica. A situação só se normalizou com a intervenção do 51º Batalhão de Infantaria de Selva do Exército.

Fonte: Arquivo Pessoal, 03/03/1986

Acidente com avião do garimpo

Um avião monomotor prefixo PT-DVF caiu perto de Fordlândia, no dia 12 de março de 1986, matando seus três ocupantes. O acidente ocorreu no meio da viagem entre Itaituba e Santarém, na região oeste do Pará. Morreram o piloto Ernane Machado Livio e o copiloto Júlio Belo Neto, mais o único passageiro, Nivaldo Luís Pereira da Silva, escrivão da Polícia Federal, que transportava um relatório sobre a “Operação Ouro”, executada pela PF para garantir a segurança na comercialização de ouro dos vários garimpos existentes no vale do rio Tapajós junto à Caixa Econômica Federal.

Fonte: Arquivo Pessoal, 14/03/1986

Conflito na reserva Mãe Maria

No início de 1986, era tensa a situação na área da reserva indígena Mãe Maria, dos índios gavião, a 30 quilômetros da cidade de Marabá, no Pará. A área estava ocupada por 39 posseiros assentados dentro da reserva pelo Mirad (Ministério da Reforma e do Desenvolvimento Agrário) e outros 139 invasores, que penetraram na terra indígena por conta própria. Os gavião pressionavam o governo para desocupar a área.

Fonte: Arquivo Pessoal, 17/03/1986

A lista dos marcados para morrer

Em junho de 1987, o bispo de Bragança, no Pará, dom Miguel Giambelli, denunciou, em carta enviada ao governador do Estado, Hélio Gueiros, ameaças de morte feitas ao vigário do município de Irituia, padre Luiz Carrá, e ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Antônio Lopes.

Segundo o bispo, no dia 17 de junho, 10 pessoas – dentre as quais os presidentes dos diretórios municipais do PMDB e PFL, alguns dos quais com mandato eletivo – se reuniram no quilômetro 48 da rodovia Belém-Brasília, em Vila Mãe do Rio, e decidiram eliminar o padre e o dirigente sindical.

Um dos participantes, porém, entregou uma carta assinada e datada dirigida ao bispo, com os nomes de todos os 10 integrantes da reunião, para uso apenas se o crime fosse executado. O padre, um italiano, na época com 48 anos de idade, havia chegado ao Brasil em 1978, trabalhando no município de Paragominas e no Seminário de Bragança. Em 1986 assumiu o vicariato de Irituia.

Na sua carta ao governador, o bispo lembrou o “bárbaro homicídio do então prefeito José Leônidas”, dois anos antes, e o “macabro assassinato do Dr. Paulo Fonteles”, três meses antes.

Fonte: O Liberal (Belém/PA), 26/06/1987

A ecologia e a dívida exterma

Um seminário realizado em Brasília, em junho de 1989, revelou uma mudança na posição até então mantida pelo governo brasileiro em relação às propostas de conversão de dívida externa por ecologia, a que era contrária.

O relatório final do seminário, patrocinado pelo governo e que atraiu 300 participantes, negou a tese de que a conversão da dívida em investimento ecológico “implica em arranhões à soberania nacional” . Alertou ainda para o fato de que no Brasil esse processo “não deve necessariamente se pautar na sistemática aplicada em outros países”.

O documento disse também que “não foi notada nenhuma menção de internacionalização de áreas no Brasil, considerada unanimemente como hipótese inaceitável”. Roque Sevilla, da Fundação Natura do Equador, calculou que o Brasil teria condições de receber, a curto prazo, 300 milhões de dólares em financiamentos externos.

O Ibama, promotor do evento, necessitaria, no mínimo, de US$ 360 milhões para atender as questões mais imediatas. O orçamento do instituto para 1990 era de 230 milhões de cruzados novos (valor da época).

Fonte: Jornal do Brasil (Rio de Janeiro/RJ), 25/06/1989